fbpx
A nova era da beleza
08 fev, 2019
Da ilegalidade e inconstitucionalidade da cobrança do ICMS Substituto para farmácias e drogarias enquadradas no Simples Nacional
13 fev, 2019

Dengue: Ela está voando – mas você pode derrubá-la

O Brasil apresentou uma redução de 57% nos casos de zika, 60% nos de chikungunya e 5% nos de dengue até agosto deste ano em relação ao mesmo período de 2017. São as três doenças transmitidas pelo aparentemente inofensivo, mas ameaçador, mosquito do tipo Aedes egypti. Mesmo com uma queda no número de infecções, resultado das medidas preventivas de controle do inseto, as três doenças somaram nada menos que 269 mil casos suspeitos e 117 mortes, no ano de 2018. E a chegada do verão aumenta preocupação com a incidência de doenças transmitidas pelo mosquito.

O governo federal tem diversas ações em todo o país, envolvendo 266,2 mil agentes comunitários de saúde e 60,4 mil agentes de controle de endemias, bem como com o apoio de 6 mil militares das Forças Armadas, desenvolvidas em articulação com prefeituras, governos estaduais e população. Mas o cidadão – vítima preferencial do mosquito e dessas doenças – tem que fazer sua parte, sobretudo conhecendo mais sobre o inimigo.

A incidência de larvas do mosquito aumenta muito nas áreas onde a estação das chuvas coincide com altas temperaturas – condição meteorológica típica do verão. Fatores como chuva, umidade e temperatura é que ditam a condição para aumento ou diminuição da população de mosquitos em uma determinada região, em determinada época. O medo de adoecer por causa da dengue leva as pessoas a utilizarem alguns métodos que nem sempre são eficazes para o combate ao mosquito Aedes aegypti. Para que você seja um eficiente agente de combate à dengue, confira abaixo algumas dicas do que é verdade e do que é mito e mãos à obra –num levantamento de técnicos da Secretaria de Saúde de São Paulo.

É verdade que o mosquito se reproduz mais rápido no calor? Que outros hábitos o Aedes tem?
Sim. No calor, o período reprodutivo do mosquito fica mais curto e ele se reproduz com maior velocidade. Isto explica o aumento de casos de dengue no verão. O mosquito fica onde o homem estiver, prefere picá-lo a qualquer outra espécie e gosta de água acumulada para colocar seus ovos.

Basta secar os lugares onde tem água parada?
Não adianta só secar os reservatórios de água parada – é preciso limpar também. O ovo do mosquito pode se manter viável por mais de um ano sem água.

O mosquito da dengue pica apenas durante o dia?
Sim, mas um detalhe: não faz zumbido.

É verdade que apenas a fêmea pica?
Sim. Ela necessita do sangue em seu organismo para amadurecer seus ovos e assim dar sequência a seu ciclo de vida. Ela pode colocar até 500 ovos durante o seu tempo de vida, que varia de 30 a 45 dias – tempo suficiente para picar até 300 pessoas.

Velas de citronela ou andiroba ajudam no combate ao mosquito?
Não, pois esses recursos têm efeito temporário e indeterminado.

O complexo B ajuda na prevenção da dengue?
Não. Dizem que o complexo B tem um cheiro muito forte e espanta o mosquito, mas não é verdade. Tomar vitamina B para evitar a aproximação do mosquito não se mostra eficaz, uma vez que seu efeito varia de acordo com o metabolismo da pessoa.

É possível distinguir a picada do Aedes aegypti da picada de um mosquito comum?
Não. A sensação de eventual coceira ou incômodo é semelhante à picada de qualquer outro mosquito.

Clubes e condomínios: a água de piscinas pode servir de criadouro para o mosquito?
A resposta é: depende. Se a água estiver bem tratada e com a concentração recomendada de cloro, o mosquito não se desenvolve. Do contrário…

Aplicar borra de café na água das plantas e sobre a terra ajuda a combater o Aedes?
Não. A eficácia da borra de café não foi comprovada.

O ideal é usar um repelente ou os inseticidas para evitar as picadas do mosquito?
As duas opções podem ser utilizadas. Mas temos que lembrar que o uso desses recursos são paliativos, ou seja, soluções momentâneas que não resolvem realmente o problema da dengue. Estamos minimamente protegidos, e temporariamente, pois quando termina o efeito do repelente estamos novamente expostos ao mosquito que continua nas redondezas e não teve seus criadouros eliminados. Portanto, o ideal é atuarmos como vigilantes em nossa casa, no trabalho ou na escola de nossos filhos, com o intuito de eliminar os criadouros onde o mosquito deposita seus ovos e se prolifera.

Colocar água sanitária na água ajuda a evitar as larvas?
Ajuda. É uma das principais medidas. Colocar uma colherzinha de água sanitária na caixa d’água, na piscina, nas poças e retenções de água ajuda a evitar as larvas.

A dengue pode ser contraída mais de uma vez?
Ao contrair dengue, a pessoa fica imunizada permanentemente para aquele sorotipo do vírus, mas não para os outros. Dessa forma, uma mesma pessoa pode ter dengue até quatro vezes. A segunda infecção por qualquer sorotipo da dengue é, na maioria das vezes, mais grave do que a primeira.

Por que não se desenvolve uma vacina contra a dengue, da mesma forma que foi feito para a febre amarela?
O desenvolvimento de uma vacina contra dengue é mais difícil porque é preciso proteger ao mesmo tempo contra os quatro tipos. No caso da febre amarela, por exemplo, só existe um tipo de vírus.

Como é feito o diagnóstico de dengue?
O diagnóstico inicial de dengue é clínico – história + exame físico da pessoa – feito essencialmente por exclusão de outras doenças. Feito o diagnóstico clínico, alguns exames (hematócrito, contagem de plaquetas) podem trazer informações úteis quando analisados por um médico, mas não comprovam o diagnóstico, uma vez que também podem estar alterados por várias outras infecções. A comprovação do diagnóstico, se for desejada por algum motivo, pode ser feita através de sorologia (exame que detecta a presença de anticorpos contra o vírus do dengue), que começa a ficar reativa (“positiva”) a partir do 5° dia de doença.

Nenhum medicamento cura a dengue?
Verdade. Por ser uma virose, o tratamento da dengue é sintomático, não tem medicação específica para tratamento da doença. Não existe nenhum antiviral que cure a dengue. Quando a pessoa é diagnosticada com dengue, seus sintomas é que são tratados de modo paliativo, com analgésicos, antitérmicos e muita hidratação.

Hidratação ajuda a curar a dengue?
Verdade. A hidratação é fundamental para o tratamento da doença, não necessariamente com aplicação de soro da veia – esse recurso é apenas usado em casos graves. A ingestão de líquidos via oral é bastante eficiente.

Quais remédios contra os sintomas da dengue são os mais aconselháveis?
O tratamento da dengue é baseado no diagnóstico precoce, manejo clínico e boa hidratação. O Antitérmico e analgésico recomendado: dipirona; o paracetamol é eficiente, mas sempre em baixas dosagens, por seus efeitos hepáticos. É proibido o uso de ácido acetilsalicílico, e de todo medicamento que contenha esse composto em sua fórmula, pois pode provocar sangramentos, piorando um eventual quadro de dengue hemorrágica.