fbpx
Sindusfarma firma acordo pioneiro com trabalhadores para incentivar a vacinação contra a Covid-19
14 out, 2021
Melhores fornecedores da indústria farmacêutica recebem Prêmio Sindusfarma de Qualidade, em sua 25ª edição
14 out, 2021

Outlook 2021 da Close-Up: Jornada da transformação

Realizado nos dias 6 e 7 de outubro, o evento promovido pela Close-Up International – empresa de conteúdo e serviços para a indústria farmacêutica que produz auditorias e relatórios sempre atualizados sobre o mercado de prescrição e vendas – teve como destaque a apresentação de um raio-x completo dos números atuais e das e tendências em tecnologia aplicadas ao mercado farma, além de um panorama do setor e projeções para o futuro.

No primeiro dia, o vice-presidente Latam e presidente do Conselho da Close-Up, Paulo Paiva, fez um balanço do das mudanças no mercado durante o período de pandemia, e das perspectivas para os próximos meses, desse setor que é um dos principais vetores da saúde pública – atuando incessantemente em novas pesquisas e na ampliação do acesso da população a novas tecnologias. Nesta que foi a sétima edição do Outlook da Close-Up, ele abordou temas como transformação digital, o paciente no centro das decisões, a relação paciente-farmácia-médico e indústria e os novos canais de comunicação entre indústria e médicos. Para Paulo, a pandemia acelerou tudo – inclusive quedas de consumo não previstas, particularmente em medicamentos contra enfermidades de inverno, em 2020, quando deixaram de ser acessados por consumidores em quarentena, isolados em casa. Mas este ano o segmento deve retornar à normalidade. Em contrapartida, as vendas por e-commerce na América Latina praticamente dobraram em relação ao período pré-pandemia. Paiva admite que o e-commerce impacta a venda por impulso – que só ocorre nas transações presenciais. Mas, no atraente mercado farma, a venda digital tem hoje todas as condições de se consagrar. Em agosto último, com a queda do isolamento, a taxa de crescimento dessa modalidade declinou. Mas, segundo Paulo Paiva, o e-commerce farma não pode perder essa oportunidade de geração de demanda. Em todos os países do continente, sobretudo as grandes redes, tiveram menos frequência presencial, justamente pela queda de movimentações físicas dos clientes nas regiões comerciais, com o consequente incremento das vendas digitais. Em compensação, as pequenas farmácias de bairros, áreas de moradia, viram suas visitas aumentar. No conjunto, o ano de 2021, segundo projeção da Close-Up, ainda será promissor: 9% de crescimento do mercado farma, em dólar. Para 2024, a projeção é de 9,7%. O dado que mais impressiona no conjunto de pesquisas de mercado da Close-Up é o crescimento do número de lojas no período: entre aberturas e fechamentos, um superávit de 6.110 unidades. No total, o mercado brasileiro tem hoje 91.890 farmácias e drogarias, das quais pelo menos 16 mil com alto potencial de faturamento. Quando se sabe que no ano 2000 o Brasil tinha apenas 42 mil farmácias, é fácil concluir que o mercado mais do que dobrou em 20 anos.

Outros traços do retrato do mercado farma
Um dos números mais sugestivos levantados pela Close-Up nesse período confirma na prática o que sempre se supôs: o nível de sortimento altíssimo de uma farmácia corresponde a um potencial de altíssima performance. Uma loja bem localizada também é fundamental para consagrar um modelo de sucesso permanente. Finalmente, a incorporação ou o refinamento dos serviços farmacêuticos é uma jornada transformadora inevitável e inadiável. No sistema de saúde brasileiro, nenhum setor está tão ligado ao paciente quanto as farmácias – por isso, esses serviços, quando bem executados, se refletem na redução de gastos públicos, além de salvar vidas.