fbpx
USP faz campanha com exames gratuitos de glicemia, colesterol e pressão arterial
19 set, 2019
21 DE SETEMBRO: DIA MUNDIAL DA CONSCIENTIZAÇÃO DO ALZHEIMER
21 set, 2019

Oncologia do HCor aponta sinais que podem indicar câncer de pâncreas

Em prol da campanha ‘Setembro Roxo’, oncologista lista os principais alertas de que algo não vai bem com o órgão; considerado um dos tumores mais agressivos e de difícil diagnóstico, o câncer de pâncreas é responsável por cerca de 2% de todos os tipos de câncer diagnosticados e por 4% do total de óbitos

O mês de setembro foi escolhido para marcar a campanha Setembro Roxo. A iniciativa visa a conscientização da população sobre a importância da prevenção do câncer de pâncreas. Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) mostram que, no Brasil, o tumor pancreático é responsável por cerca de 2% de todos os tipos de câncer diagnosticados e por 4% do total de óbitos por essa doença, o que representa um universo de mais de 8,7 mil pessoas. “Estamos falando de um dos tumores mais agressivos e de difícil diagnóstico, em virtude de sua localização”, alerta Dr. Auro Del Giglio, oncologista do HCor.

“Acredita-se que este será a segunda causa de óbito por câncer nas próximas décadas, já que a maioria dos pacientes é diagnosticada tardiamente e, infelizmente, vive só alguns meses após o diagnóstico e o tratamento”, alerta Dr. Auro. Em prol da campanha Setembro Roxo, o oncologista do HCor lista cinco sinais que podem ser um indício de câncer de pâncreas. Confira!

Icterícia: metade dos pacientes com câncer de pâncreas apresenta icterícia, condição que deixa a pele e os olhos amarelados. Isso porque, quando o tumor está instalado na parte superior do órgão, causa uma obstrução biliar.

Dor nas costas: à medida que o tumor avança pode provocar dores nas costas. No início, a dor é de baixa intensidade, podendo ficar mais forte. “A dor aparece porque o tumor pode comprimir os órgãos vizinhos, para os nervos ao redor do pâncreas. Vale lembrar que o câncer de pâncreas não é a principal causa da dor, outras doenças podem causar o sintoma com mais frequência”, ressalta Dr. Giglio.

Aumento da glicose: frequentemente existem pequenos problemas com o metabolismo do açúcar que podem ser reconhecidos por exames de sangue específicos. Embora ocorra o aumento dos níveis de glicose no sangue, não se caracteriza diabetes. Esse aumento é provocado pela deficiência na produção de insulina, principal função do pâncreas.

Hábitos intestinais: a quantidade insuficiente de enzimas pancreáticas no intestino pode causar diarreia ou constipação, e pele amarelada. Isso ocorre porque devido à obstrução no canal biliar. Este bloqueio provoca o aumento da quantidade de bilirrubina, um componente da bílis no sangue.

Perda de peso e náuseas: em algumas situações, a localização do tumor torna a alimentação mais difícil, como tumores que dificultem o trânsito normal do alimento pelo trato digestivo. O emagrecimento progressivo diminui a resistência do organismo a infecções e reduz a tolerância aos tratamentos necessários.

Prevenção: Não fumar e evitar o excesso de álcool são medidas importantes para a prevenção do câncer de pâncreas. Pessoas portadoras de outros fatores de risco, como pancreatite crônica, diabetes, histórico familiar ou submetidas a certas cirurgias de estômago, duodeno e vesícula devem manter o acompanhamento médico regular.

Tratamento: o tratamento do câncer de pâncreas pressupõe, sempre que possível, uma cirurgia para a retirada completa do tumor. Quando já existem focos de metástases prejudicando o funcionamento de outros órgãos, ela pode ser realizada para reduzir os sintomas adversos causados pela doença.

Quimioterapia, associada ou não à radioterapia, é um recurso terapêutico para evitar recidivas do tumor, controle da doença ou alívio dos sintomas.

Câncer de pâncreas é uma doença grave. As características dos sintomas que, no início, são inespecíficos e podem ser confundidos com manifestações de outras enfermidades, muitas vezes, inviabilizam o diagnóstico precoce, fundamental para o sucesso do tratamento.