fbpx
Saúde dos ossos ganha novo aliado
21 ago, 2019
Drogarias Pacheco promove bate-papo com Drauzio Varella sobre sedentarismo
22 ago, 2019

Anvisa aprova primeiro tratamento específico para um tipo de câncer raro do sangue

Pills and capsules in medical vial

A nova indicação de Rydapt® (midostaurina) representa uma conquista para o tratamento de mastocitose sistêmica avançada, caracterizada por sintomas que vão desde alergias até a invasão de vários órgãos
A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou o uso do medicamento Rydapt® (midostaurina) para o tratamento de mastocitose sistêmica avançada. No ano passado, o medicamento foi aprovado como terapia para pacientes adultos com leucemia mieloide aguda (LMA) recém diagnosticada com mutação de FLT3.

Registrado pela farmacêutica suíça Novartis, Rydapt® recebeu nova indicação como monoterapia para o tratamento de adultos com mastocitose sistêmica agressiva (MSA), mastocitose sistêmica associada com doença clonal hematopoética de linhagem não mastocitária (MS-ADHNM) ou leucemia das células mastocíticas (LCM) – formas avançadas da doença1.

Esta aprovação é baseada em dois estudos clínicos de fase II, multicêntricos, abertos e de braço único. O estudo CPKC412D2201 foi o maior estudo prospectivo já realizado com essa doença rara, cujos resultados também foram publicados no The New England Journal of Medicine.

A eficácia do Rydapt® foi comprovada com taxa de resposta global de 60% e pelo menos um tipo de dano aos órgãos decorrentes da doença teve resolução completa em 45% dos casos. Como consequência, houve aumento significativo da qualidade de vida e da sobrevida global, passando de 19 meses para 41 meses.

Até então, os pacientes com mastocitose sistêmica avançada eram tratados com medicações de suporte somente para controlar os sintomas, como antialérgicos, corticoide e quimioterapia; e obtinham baixa resposta, sem ganho significativo no tempo de vida.

A mastocitose é um grupo de doenças malignas que acometem os mastócitos (células do sangue que podem estar em qualquer órgão) e pode ser classificada como:

  • Cutânea, forma mais comum em crianças, que se limita a lesões e confunde-se com alergias de pele;
  • Sistêmica, que ocorre quando há o acúmulo de mastócitos anormais em outros tecidos e órgãos do corpo. Nas formas avançadas, tipos mais graves, a doença pode ocasionar fraturas ósseas, osteoporose, diarreia, alterações no sangue, e costuma aparecer em pacientes a partir dos 30 anos.

A aprovação da indicação de Rydapt® para o tratamento da doença foi concedida com revisão prioritária pela Anvisa, quando o processo ocorre mais rápido do que o convencional, pelo fato de a mastocitose sistêmica avançada se tratar de uma doença rara e sem tratamento previamente aprovado no Brasil