fbpx
O aumento de preços vem aí. De onde vem esse cálculo?
22 mar, 2021
Rosuvastatina – Inimigo numero 1 do colesterol alto
23 mar, 2021

Conquista para a tecnologia em saúde: Congresso Nacional derruba veto presidencial que impediria o investimento em pesquisas e desenvolvimento

 

Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia em Produtos para Saúde (ABIMED) comemora a decisão que favorece um dos eixos defendidos pela entidade, o da inovação, já que com a medida o setor de saúde poderá voltar a contar com verbas que irão garantir o desenvolvimento tecnológico.

O Congresso Nacional derrubou na última quarta-feira, 17/03, um dos vetos do presidente da República que poderia contingenciar verbas do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). Com a derrubada do veto, os recursos de R$ 3,6 bilhões do fundo estarão disponíveis para serem aplicados no financiamento de pesquisas e desenvolvimento de novas tecnologias, inclusive aplicadas à saúde, ainda este ano.

Desde o início, a ABIMED esteve engajada nesta causa e apoiou a aprovação do Projeto de Lei PLP 135/2020, de autoria do Senador Izalci Lucas (PSDB/DF), para vedar a limitação de empenho e movimentação financeira das despesas relativas à inovação e ao desenvolvimento científico e tecnológico custeadas pelo FNDCT.

Segundo o presidente-executivo da ABIMED, Fernando Silveira Filho, essa conquista é uma vitória do setor. A entidade apoiou o Projeto de Lei pela evidente e iminente necessidade de se fomentar a ciência e tecnologia no Brasil e agora estamos muito contentes com a vitória obtida no Congresso Nacional. “A Associação tem como princípio contribuir para a promoção de um ambiente saudável, sustentável e propício à inovação tecnológica e à competitividade de suas associadas nos mercados local e global, bem como contribuir para o desenvolvimento do setor de saúde no Brasil à luz dos preceitos de ética e integridade e com foco no paciente, propiciando à população brasileira acesso a equipamentos e dispositivos médicos inovadores e de alta tecnologia.”, finaliza o executivo.