fbpx
Suplementos para o cérebro são mesmo eficazes?
12 set, 2020
Cinco tendências em telemedicina evidenciadas durante o período de isolamento social
15 set, 2020

FazBem: a dieta do coração

Conheça o cardápio saudável de alimentos e suplementos que previnem e combatem as doenças cardiovasculares

Uma das causas de doenças cardiovasculares, principal causa de morte nos tempos modernos, está sentada à mesa ao nosso lado. Essas doenças estão intimamente relacionadas ao estilo de vida moderno – e ao menu de inimigos do coração, que inclui índices anormais de glicemia, colesterol, homocisteína, fibrinogênio e ácido úrico. Tudo isso colabora para corromper o organismo e, sobretudo, as veias e artérias, estreitando-as pelo depósito de gorduras e dificultando o sistema circulatório devido a pressão alta. Em meio a esse processo nocivo, as estruturas cardíacas, como artérias e válvulas, vão sendo afetadas aos poucos – através do infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca e outras patologias.

Como observa a Dra. Consolação Oliveira, médica, farmacêutica e bioquímica pós-graduada em Nutrologia e Medicina Ortomolecular pela Faculdade de Medicina de Barbacena, “o sobrepeso e a obesidade apresentam hoje índices pandêmicos e grande parte dessas morbidades está ligada à má alimentação, com ênfase para produtos super industrializados, que causam inflamação no corpo humano”.

No mês reservado para a conscientização acerca da saúde do coração tão importante para a vida, durante o Setembro Vermelho reforça-se a importância de uma dieta e hábitos saudáveis para cuidar deste órgão, garantir maior qualidade de vida e evitar as doenças cardiovasculares, além de outras comorbidades.

A dieta verde, amarela e saudável na mesa dos brasileiros

Não é exagerado dizer que os “chefs” de cozinha do Ministério da Saúde, em parceria com especialistas do Hospital do Coração (HCor) de São Paulo, formularam a Dieta Cardioprotetora Brasileira ou Dica BR – cardápio que propõe uma alimentação saudável e adequada para prevenir doenças do coração. Esse menu traz alimentos separados por grupos com as cores da bandeira do Brasil. De forma lúdica e simplificada, separa os alimentos ao mesmo tempo em que ressalta a cultura alimentar brasileira.

A Dica BR pode ser adotada por qualquer pessoa, mas é recomendável para grupos específicos. “A alimentação cardioprotetora é indicada para a promoção da saúde no sentido de prevenir que uma pessoa que tenha um fator de risco, como obesidade, hipertensão, diabetes e excesso de colesterol, venha a desenvolver doença cardiovascular. Mas, ela também é indicada para quem já tem doenças do coração”, explica Enilda Lara, nutricionista do HCor.

Na prática, a montagem do prato de uma refeição deve seguir a mesma lógica da bandeira brasileira: a maior área deve ser ocupada por alimentos do grupo verde, seguida pelos grupos amarelo e azul. Já o grupo vermelho, que inclui os alimentos ultraprocessados, deve ser expressamente evitado. Confira abaixo alguns exemplos de alimentos de cada grupo:

  • Grupo verde: frutas; legumes; leguminosas; leite, verduras e iogurtes sem gordura.
  • Grupo amarelo: cereais; mel; oleaginosas; óleos vegetais; pães e tubérculos cozidos.
  • Grupo azul: carnes; creme de leite; doces caseiros; queijos brancos e amarelos; manteiga e ovos.
  • Grupo vermelho: macarrão instantâneo; salgadinhos; biscoitos e bolachas; embutidos; sucos industrializados; refrigerantes; linguiça; achocolatado em pó e sorvete.

À mesa com saúde – e o coração batendo forte

Como a saúde cardiovascular está intimamente relacionada com os processos inflamatórios, médicos cardiologistas e clínicos gerais solicitam a realização de testes de intolerância alimentar em seus pacientes. Um dos mais utilizados atualmente abrange 220 alimentos e aditivos que podem estar relacionados e até ocasionar processos inflamatórios no corpo humano. Os resultados mais expressivos são os dos lácteos e o glúten.

Segundo a Dra. Consolação, os lácteos e o glúten têm gerado resultados mais expressivos nestes testes e, por isso, vale a pena adotar uma dieta que substitua alimentos inflamatórios por correlatos mais saudáveis. Mesmo antes de fazer esse teste, a especialista sugere algumas trocas: “substituir a farinha de trigo pela farinha de arroz, amêndoas, grão de bico, aveia, linhaça, côco. Trocar o leite de vaca pelo leite de coco, aveia, arroz ou inhame”, exemplifica a Dra. Consolação.

Suplementos amigos do coração

Além da mudança alimentar, uma suplementação adequada pode ser grande aliada na saúde desse órgão vital. Alguns dos suplementos – sempre prescritos por um especialista- que podem oferecer ao coração condições mais saudáveis, são:

  • Ômega 3: atua como anti-inflamatório, previne doenças cardiovasculares e pode auxiliar no controle da pressão arterial;
  • Astaxantina: potente antioxidante que pode atuar impedindo a formação de placas ateroscleróticas;
  • Resveratrol: antioxidante com efeito cardioprotetor;
  • Magnésio dimalato: importante regulador do funcionamento das células cardíacas;
  • D-ribose: constituinte do DNA e essencial na formação de ATP (células de energia);
  • Coenzima Q10: tem efeito antioxidante e auxilia na regulação da pressão arterial;

Orientações específicas para hipertensos, diabéticos, obesos e pessoas com colesterol alto

Os indivíduos que possuem fatores de risco para doenças do coração necessitam de orientações nutricionais especiais. De acordo com a nutricionista Enilda Lara, do Hospital do Coração, são elas:

  • Aos hipertensos, recomenda-se controle da ingestão de sódio, presente no sal adicionado aos alimentos e nos alimentos processados e ultraprocessados. Também é importante que consumam maior quantidade de frutas, verduras e legumes, aumentando o aporte de potássio. Com isso, a pressão arterial pode ser controlada.
  • Os diabéticos tipo 2 necessitam controlar a ingestão do açúcar, principalmente na forma de sacarose. Por isso, devem evitar o açúcar branco.
  • Indivíduos com excesso de peso precisam encontrar o balanço energético consumindo a quantidade de alimentos e calorias adequadas para o funcionamento do corpo, com a realização das atividades diárias.
  • Pessoas com índices de colesterol alto precisam evitar principalmente o consumo de gordura saturada e trans.

 

Referências

_________________

1 Hospital do Coração: https://www.hcor.com.br/imprensa/noticias/saiba-como-manter-uma-dieta-mais-saudavel-para-o-coracao/

2 Dica BR: https://saudebrasil.saude.gov.br/eu-quero-me-alimentar-melhor/dicas-de-alimentacao-para-ter-um-coracao-saudavel

 

Saiba mais