fbpx
Herbarium completa 35 anos de atuação e comemora ascensão do consumo de produtos naturais no Brasil
17 nov, 2020
Nitazoxanida: no começo, o fim da Covid-19
20 nov, 2020

Estoque, o coração de seu negócio

Por Carla Bovo

Organizar o controle de estoque é um desafio para você? Bem, encontrar meios para facilitar esse processo é uma preocupação e uma necessidade. Afinal, estoque é sinônimo de dinheiro e pode determinar o sucesso ou não de seu negócio. Que tal fazer esse estoque ficar saudável, seguindo algumas dicas importantes?

É muito importante estabelecer na farmácia um sistema de gestão de estoque, pois isso acarreta uma grande responsabilidade sobre os recursos da empresa, garantindo saudabilidade e sustentabilidade para o negócio. Para isso, devemos seguir alguns princípios básicos, tais como: eliminar gastos desnecessários e perda de materiais e recursos, permitir acordos comerciais mais interessantes e garantir o bom desempenho da empresa e a satisfação do consumidor.

Com essas informações essenciais, vão algumas dicas:

  • Conheça seu negócio – Identifique a rotatividade de produtos e sua necessidade na rotina de trabalho ou prestação de serviço, bem como a demanda do consumidor/shopper;
    Isso significa que é necessário um estudo de curvas assertivo, a famosa Curva ABC. Para isso, precisamos entender uma coisa muito importante:
  • Produtos e suas curvas são importantes para novas compras, mas também para manter seu estoque saudável (já que o estoque é o coração do negócio…). Se ele está em desequilíbrio, com certeza seu negócio está em maus lençóis.
    Regra básica do estoque

    • A — 20% ESTOQUE — 70% FATURAMENTO
    • B — 30% ESTOQUE — 20% FATURAMENTO
    • C — 50% ESTOQUE —10% FATURAMENTO

Isso significa que temos que focar nossos esforços nas curvas A e B, mantendo-o sustentável com foco no faturamento. Lembro ainda que produtos da Curva C com mais de 90 dias parados, que chamamos de SR (produtos sem rotação), não devem estar ativos no seu negócio. Se você tem um estoque desses produtos, faça ações promocionais, troque com os distribuidores e indústria, mas acabe com esse problema rapidamente antes que você tenha uma perda grande por vencimento. Ou seja: invista seus esforços para eliminar esse tipo de produto – com isso, você terá um maior capital para investir em produtos das curvas A e B, deixando seu estoque mais saudável.

Se tiver mais de uma loja, veja qual delas tem mais demanda desses produtos SR (sem rotação) e faça a transferência. Recomenda-se fazer essa análise mensalmente.

Com relação a excessos, faça uma análise criteriosa: se houver excesso de produtos em promoção ou sazonais, você precisará trabalhar bem sua visibilidade, em ações de campanhas promocionais. Agora, se tiver excesso de produtos sem essa característica, dê mais atenção às compras: produtos com mais de 90 dias sem venda (SR) não devem ser comprados novamente.

  • Otimize o espaço – Faça uma avaliação do espaço usado para o estoque. Considere organizar o posicionamento dos produtos de acordo com sua demanda, facilitando todo o fluxo e a armazenagem;

Lembre-se: precisamos deixar o máximo de produtos no ponto de venda – produtos guardados no estoque são produtos sem venda.

  • Crie regras de organização do estoque – Estabeleça procedimentos, normas e padrões da limpeza do local, passando pela forma de armazenagem, até os horários para movimentações de entradas e saídas.

PS: organizar no sistema Peps (Primeiro que entra, primeiro que sai). Atente-se a validade dos produtos para diminuir a perda.

Defina os processos e responsáveis

É preciso determinar como será realizada cada tarefa de organização do estoque, definindo os responsáveis. Seja a realização de inventário, atualização de informações, acompanhamento do fluxo no estoque e processo de reposição, cada etapa deve ser feita em diferentes momentos do dia, evitando sempre a falta de produtos no ponto de venda. De novo: coloque o máximo de produtos que puder na área de venda.

  • Capacite sua equipe – Para o sucesso da operação, é fundamental que a equipe esteja preparada para cumprir cada tarefa da organização do estoque. Todos devem entender a importância do processo para a empresa.

Não deixe produtos em caixas fechadas sem identificação – o estoque deve estar organizado em setores para facilitar a reposição, bem visíveis.

  • Determine métodos de controle – É importante que sejam definidos métodos para verificar a realização e o resultado prático de cada tarefa relativa ao estoque, evitando falhas.

O gerente ou supervisor da loja deve estar atento: estoque muito cheio muitas vezes é sinônimo de perda de venda.

  • Registre o fluxo de estoque – Mais do que saber quais os produtos mais procurados em cada período, é preciso registrar o fluxo de estoque para embasar o processo de tomada de decisões, ou seja, compras e reposições. E otimizar as finanças.

O processo de compras focado no faturamento, bem como no acompanhamento das curvas de demanda, facilitará muito todo o sistema. E o cliente terá mais chance de encontrar o que procura.

  • Identifique quantidades – A partir da análise do fluxo, é possível determinar quantidades mínimas e máximas necessárias de cada produto ou material do estoque, evitando desperdícios ou faltas.

O layout de sua loja é muito importante: em tese, loja cheia de produtos atrai mais clientes. Mas, lembre-se: ela precisa estar cheia de produtos que estão dentro da curva A e B.

Análise da demanda é fundamental para compra e controle dos estoques. Determine os períodos ideais para as compras – variáveis podem afetar o valor de compra de um produto, sua necessidade e o poder de compra da empresa. Por isso, é importante fazer um planejamento e encontrar melhores preços e períodos ideais de compras, favorecendo o equilíbrio financeiro.

Lembre-se: o ideal é comprar mais vezes em quantidades menores, mas oportunidades sazonais devem sempre ser levadas em consideração.

  • Faça um cadastro dos fornecedores – Manter esse cadastro atualizado de distribuidores e indústrias facilita a busca por alternativas e o cumprimento de prazos e acordos comerciais entre as partes envolvidas.

Com essas dez etapas anteriores, você deve ter chegado à conclusão de que gerenciar o estoque dá muito trabalho, não? Nem tanto, desde que você tenha as ferramentas certas para automatizar e otimizar o trabalho.

Nessa conta, entram os sistemas de gestão online, que permitem acelerar os processos por meio da automação. Mas se você quer ainda mais agilidade e eficiência, é preciso ir além e contar com um sistema capaz de aprender com o vai e vem do estoque da sua empresa – e assim prever tendências e comportamentos.

Para que isso aconteça, seu cadastro precisa estar em dia e respeitar a sazonalidade. Esse detalhe é fundamental para que você tenha sucesso nas avaliações sobre o estoque de sua loja.

Com seu cadastro em dia acerca de categorias e subcategorias de produtos, você vai conseguir organizar os produtos em setores, ou “minimundos”, facilitando a jornada do cliente.