fbpx
Nitazoxanida: no começo, o fim da Covid-19
20 nov, 2020
Webinar: Alerta tributário!!! A decisão tributária + importante de 2020 e que impactará no seu 2021
26 nov, 2020

Como prescrever suplementos na farmácia

Uma situação corriqueira: o consumidor entra na farmácia e se depara com uma gôndola exclusiva destinada a suplementos alimentares e nutracêuticos. O mercado farma já se deu conta de que esses produtos contribuem muito para a melhoria da saúde e do bem­ estar da população – e ainda rentabilizam o ponto de venda de maneira significativa. Há outro aspecto que pesa muito nessa oferta de suplementos aos consumidores – a RDC 586/13, do CFF, que regulamenta a prescrição farmacêutica e permite ao farmacêutico fazer a indicação correta desses produtos com um atendimento especializado, a fim de que eles sejam usados de forma adequada.

Deve-se  salientar  que a venda de suplementos para praticantes de atividades esportivas, visando perda de peso ou ganho de massa muscular, é um mercado em forte expansão – com crescimento médio de 25% ao ano. Pesquisa recente, realizada em conjunto para associações como a Abiad, Abifisa e Abenutri, mostrou que 54% dos brasileiros tomam algum tipo de suplemento alimentar. O estudo também revelou que, entre os compostos mais consumidos, estão: ácidos graxos (omega-3), aminoácidos (BCM), minerais (cálcio), óleos (óleo de fígado de bacalhau), plantas (gojiberry), proteínas (whey protein), vitaminas (multivitamínicos).

A principal finalidade do uso de suplementos alimentares, para 86% dos consumidores, é a saúde. Entre os principais motivos para o consumo estão a complementação da alimentação, a saúde e o bem-estar. E fato que a venda de suplementos em farmácias melhora o tíquete médio e atrai um novo perfil de consumidores para as lojas, levando fluxo inclusive para a área de perfumaria – já que o consumidor de suplementos e nutracêuticos é preocupado com a boa aparência e a qualidade de vida. Mas, para isso, é fundamental garantir um bom abastecimento, evitando rupturas, e melhorar a exposição dos produtos.

Claro que há diferenciações entre os produtos. Vale lembrar que, de acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), as vitaminas são compostos orgânicos ou micronutrientes essenciais para o funcionamento normal do metabolismo. Já os suplementos alimentares tem a finalidade de complementar a dieta com nutrientes ou outras substâncias em situações específicas, como os suplementos vitamínicos e minerais ou esportivos para atletas. Segundo a nutricionista Bruna Petrungaro, o suplemento é usado quando a dieta não atende a uma demanda diferenciada do organismo em função de um a situação fisiológica distinta – ou simplesmente necessitar de complementação para atendimento das necessidades diárias.

Maior procura

Há vários produtos muito procurados em farmácias. A nutricionista explica a função de alguns deles:

  • Omega 3- Tem sido usado para prevenção coadjuvante de doenças cardiovasculares e acidente vascular cerebral (AVC), controle de colesterol e triglicérides, melhorar a saúde cerebral e, ultimamente, esta sendo indicado para gestantes, para manter a mãe e o bebe mais fortes e evitar parto prematuro.
  • Suplemento Alimentar – Com foco principalmente em cálcio e vitamina D, indicado ao público de terceira idade para complementar a alimentação, principalmente em idosos desnutridos. Eles contribuem para a saúde óssea, já que nessa idade ocorre uma perda da densidade, com maior risco de osteopenia ou osteoporose.
  • Whey Protein e BCAA – Podem ser indicados para praticantes de exercícios físicos a fim de complementar a alimentação e aumentar a massa magra, caso a ingestão de proteína esteja incompleta e insuficiente, via alimentos, para atingir o objetivo. Nos últimos tempos, houve um aumento expressivo da prescrição da vitamina D, já que uma boa parte da população está com deficiência desse nutriente. Uma explicação está ligada ao estilo de vida moderna, em que e muito difícil a exposição ao sol por tempo suficiente para se obter a dose excelente de vitamina D.

A prescrição na farmácia

O farmacêutico e professor Ricardo Silveira Leite, especialista em atendimento e atenção farmacêutica em suplementos alimentares, vê a prescrição de suplementos e nutracêuticos com a inerente à função desse profissional. Ele prescreve inúmeros produtos destinados a diferentes públicos. Para atletas, indica BCAA, whey protein, maltodextrina e creatina. Para praticantes de atividades físicas, vitaminas, shakes e energéticos. Os idosos costumam consumir vitaminas específicas, suplementos a base de cálcio e chás. Além disso, há os produtos especiais para quem quer perder peso e ganhar massa muscular. Ele salienta que a abordagem que o farmacêutico pode dar no atendimento de um cliente ocorre de duas formas, pois a prescrição desses produtos está em alta nas farmácias.

A indústria de suplementos passou a investir no marketing desses itens. Assim, os suplementos estão saindo das lojas exclusivas para as gôndolas das drogarias. “Entendo que isso é uma tendência mundial. Farmácias e drogarias já possuem uma vasta rede de atendimento no Brasil, que hoje conta com mais de 80mil lojas – e contam com uma mão de obra qualificada do farmacêutico para prescrever esses produtos”.

Cinco dicas para o farmacêutico

  1. Ele deve se preparar de maneira intensa e conhecer bem os produtos
  2. Para a prescrição, o farmacêutico precisa fazer uma boa análise do cliente. Assim, ele poderá extrair do paciente a sua real necessidade
  3. É fundamental que o profissional investigue a rotina do paciente para poder prescrever um produto acessível às condições dele
  4. A função do farmacêutico, além de prescrever e orientar, inclui instruir o cliente sobre o preparo de cada produto
  5. É essencial o seguimento semanal dos pacientes para acompanhar a evolução e, se necessário, realizar ajustes.